Políticas de privacidade e de cookies

Blog

Nanotecnologia e biosseguridade na cadeia de proteínas

Sabe-se que a biosseguridade resume uma série de medidas, normas e procedimentos técnicos que devem ser utilizados para, dentre outras questões, conter e prevenir a introdução de doenças infecciosas durante a produção animal.

EMBRAPA, 2018.

Tomar essas ações é a base mais importante quando se trata de saúde animal na cadeia produtiva.

Essas estratégias, quando utilizadas, são importantes para reduzir o risco de entrada de agentes patogênicos (vírus, bactérias, fungos e parasitas) na produção de animais.

Mantendo o sistema controlado, ou até livre de doenças que trazem risco à saúde pública.

Além de diminuir os microrganismos já presentes no interior das instalações.

Os microrganismos patogênicos podem ser introduzidos em uma granja de diferentes maneiras.

Por isso, há a necessidade de protocolos de limpeza e desinfecção, os quais são essenciais para reduzir ou conter a proliferação de agentes microbianos e a disseminação das doenças.

A base da saúde animal depende da execução de um protocolo correto e apropriado para as condições de confinamento.

Pois, a gravidade e a ocorrência de moléstias estão relacionadas diretamente ao grau de contaminação de tal ambiente, além de afetar a economia desse setor.

Baixe nosso e-book: Tecnologia no agronegócio

Como a nanotecnologia pode colaborar na biosseguridade desse mercado?

Ainda hoje, há uma grande dificuldade em encontrar uma solução que seja adequada para múltiplas situações e desafios, e que sua eficiência seja o máximo possível independente dos protocolos de limpeza.

Embora utópica, essa busca incentiva avanços gradativos na área.

E desenvolver tecnologias que distingam entre os métodos usados diariamente no manejo, dos utilizados para controlar surtos de doenças infecciosas, é central nessa busca.

Leia mais em: Biológicos no agronegócio: Conheça a química que está por trás

Uso de antimicrobiano em materiais

A nanotecnologia vem sendo uma auxiliadora importante no combate às dificuldades que esses sistemas de produção enfrentam diariamente.

O uso de antimicrobianos TNS incorporados nas estruturas utilizadas nas instalações como, pisos ripados, tintas, comedouros, camas e até mesmo nos EPI’s.

Vem sendo uma alternativa de prevenção da entrada de novos patógenos, ou novas cepas, nas granjas e até mesmo para o controle mais aprofundado dos agentes presentes dentro do sistema, reduzindo a pressão de infecção.

Leia mais em: Nanopartícula TNS apresenta atividade antiviral

Uso de antiviral em materiais e instalações

Nesse momento de pandemia, a TNS concentrou sua energia no desenvolvimento de um produto com eficiência antiviral denominado Protec-20.

O mesmo é aplicável em processos industriais em diferentes matrizes (bandagens, máscaras, plásticos, revestimentos para materiais cirúrgicos, espumas etc.).

Cujo uso foi enfatizado como uma alternativa para reduzir e evitar a contaminação microbiótica.

Este produto vem proporcionando resultados de 99,99% no controle de vírus categorizados como envelopados, os resistentes, e 99,9% no controle de vírus não envelopados.

Os sistemas de produção de proteína animal dependem de um conjunto de insumos, dentre os quais se destacam rações, vacinas, equipamentos, instalações, medicamentos e genética.

O uso de espécies melhoradas geneticamente, vacinas e medicamentos, são essenciais para controlar a sanidade do animal, principalmente quando se trata de doenças virais.

Porém o setor está sempre em busca de melhorias para aumentar a biosseguridade dentro das instalações, o Protec-20 pode colaborar sendo aplicado nas superfícies dessas instalações (maçaneta, balcão, portas, pisos, paredes, etc).

Como garantia de manter o sistema ainda mais controlado e livre de doenças virais no interior das matrizes de criação, principalmente, na criação de suínos.

Já que a espécie é a única que pode ser infectada com os vírus proveniente de aves e humanos gerando novos vírus com segmentos gênicos trocados originados de diversas espécies (VAN REETH, 2007).

Leia mais em: Nanotecnologia no Agronegócio

Uso de antimicrobiano na desinfecção de granjas

As medidas preventivas necessárias para esse setor, precisam que os procedimentos de limpeza e desinfecção caminhem juntos.

Para que haja o favorecimento dos índices zootécnicos importantes (conversão alimentar, ganho de peso diário e mortalidade).

Todavia, para que esses métodos sejam eficazes, há a necessidade de estar atento a escolha do produto, devido a sua concentração, tempo de atuação, pH e outros fatores relacionados.

biosseguridade em granjas

Leia mais em: Biossegurança em Granjas

Tecnologia TNS Nano

O uso de antimicrobiano TNS a base de nanotecnologia pode auxiliar na melhoria das condições sanitárias dos rebanhos.

É fundamental para que o animais expressem o seu potencial genético, além de reduzir o uso de medicamentos devido ao impedimento de agentes infecciosos dentro do sistema.

Aliando o bom manejo com a proteção dos aditivos TNS e os consequentes ganhos.

Reduz-se os prejuízos econômicos causados pelo aumento dos custos de produção devido a vulnerabilidade sanitária do setor.

Não devemos esquecer que a agropecuária é uma das bases mais importantes da economia brasileira, a qual gera grande demanda de emprego e renda para a população.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o setor agrícola compõe um pouco mais de 5% do PIB brasileiro atualmente.

Sendo responsável por R$ 322 bilhões em volume de exportações juntamente com a pecuária.

Ou seja, a produção agropecuária brasileira é uma das responsáveis pelos valores da balança comercial do país (MAPA,2020).

Todavia, esse setor está constantemente em mudanças, sendo observado o desenvolvimento de novas tecnologias anualmente, e as empresas precisam se atualizar para manter a competitividade.

Leia mais em: Revella®: Rápida detecção de Salmonella na cadeia de proteínas

Gostou do post? 

Então deixe seu comentário e não esqueça de compartilhar nas suas redes sociais!

Acesse mais conteúdos exclusivos inscrevendo-se no nosso canal do YouTube, acompanhando nosso blog e seguindo a TNS no LinkedIn, Facebook e Instagram.

nanotecnologia e biosseguridade

 

Referências Bibliográficas

Principais métodos de desinfecção e desinfectantes utilizados na avicultura: Aqui  | | JAENISCH, Fátima Regina Ferreira; KUCHIISHI, Suzana Satomi; COLDEBELLA, Arlei. Atividade antibacteriana de desinfetantes para uso na produção orgânica de aves. Ciência Rural, 2010, 40.2: 354-358.  Aqui | |Uso de desinfetantes em produção de aves : Aqui  | |Pontos críticos para redução do uso de antibióticos na produção de suínos: Aqui | | Limpeza e desinfecção na avicultura: 1, 2 | | Biosseguridade na produção de suínos: Aqui | | Biosseguridade mínima para granjas de suínos que produzem animais destinados ao abate: Aqui | | A importância da Biosseguridade em Granjas de Suínos: Aqui | | PIB do setor agropecuário cresceu 1,3% em 2019 (MAPA,2020): Aqui | | Requisitos básicos de Biosseguridade para Granjas de Postura Comercial: Aqui | | Avicultura de postura: estrutura da cadeia produtiva, panorama do setor no Brasil e no mundo e o apoio do BNDES: Aqui | | Influenza suína – Aspectos atuais no controle e tratamento desta doença emergente: Aqui