Políticas de privacidade e de cookies

Blog

Caixas térmicas antivirais para transporte de vacinas

Não é de hoje que conhecemos a versatilidade da micro e nanotecnologia. Pois bem, diante de um grande desafio logístico mundial para o transporte de vacinas, as soluções antivirais da TNS oferecem a segurança extra que todas as caixas de transporte de vacina deveriam receber.

O que são caixas térmicas antivirais? 

Você possivelmente já utilizou uma caixa térmica convencional. Caixas térmicas são aquelas onde armazenamos alimentos e bebidas durante viagens e passeios, a fim de manter o interior a baixas temperaturas. 

Bem, se você as conhece, você já deve ter se deparado com manchas escuras provenientes de microrganismos ali encontrados.

E já pensou em ter esses mesmos microrganismos na caixa que irá transportar sua vacina? Aqui entra a TNS e seus aditivos antivirais.

Leia mais: 5 benefícios de se aplicar os aditivos antimicrobianos em seu produto

Corrida para vacinar o mundo 

Com o objetivo de mitigar o impacto negativo da pandemia COVID-19 no mundo, já no início de 2020, pesquisadores buscavam por moléculas com potencial sucesso no combate do COVID-19. 

Na corrida pela vacina, diferentes nomes surgiram no decorrer do último ano com eficácias diferentes entre si, porém, todas com potencial de larga utilização em todo o mundo já em 2021.

Dentre elas, temos: Sputnik-V, Pfizer ou Biontech, Coronavac, Oxford e outras. 

Independente de qual ou quais vacinas farão sucesso no curto prazo e contribuirão com a mitigação da pandemia que o mundo vive, sabe-se que além da vacina ter sido um grande desafio a ser transpassado em seu desenvolvimento, a logística delas, de forma a garantir entrega com qualidade em todo o mundo, será um tanto desafiadora. Vide o quadro abaixo:

Particularidades de cada vacina no que tange armazenamento

Transporte de vacinas

Com a logística e armazenamento sendo um desafio latente dadas as condições que são pré-requisitos de qualidade – todas refrigeradas -, a cadeia de transporte exigirá uma séria de serviços de qualidade e rastreamento que ainda nem conhecemos. 

Vamos pensar juntos: uma vez que um lote de vacinas tenha sido contaminado ou tenha, por algum motivo, seu efeito alterado devido ao transporte ou armazenamento, isso poderá acarretar na segurança da vida de milhares de pessoas, sem falar que inúmeras dúvidas surgirão em relação à vacina.

Leia mais: A nanotecnologia como alternativa à contaminação hospitalar

Polímeros antivirais

Não existe logística sem caixas térmicas

Inúmeras transformadoras de EPS estão trabalhando neste exato momento em projetos ligados a este desafio, certamente estão competindo entre si para assegurar -1 ou -10 graus celsius a mais de estabilidade térmica, porém, sabe-se que este não é o único desafio.

Ao ser demandado por soluções deste teor pelo mercado de polímeros, o time TNS direcionou seus esforços para entregar aos formuladores de EPS – Poliestireno Expandido ou famoso Isopor – uma solução de fácil uso que pudesse ser incorporada na moldagem das pérolas de EPS, sem alterar a formulação de cada fábrica e que fornecesse eficácia antiviral comprovada por normas reconhecidas internacionalmente.

Antiviral: Proteção extra para caixas de vacinas

Com aditivo antiviral TNS food grade, os formuladores ou expansores de EPS poderão projetar as mais variadas caixas para transporte de vacinas com um diferencial eficaz, de baixo custo e de fácil acesso junto ao nosso time. 

Isso é possível pois a formulação TNS não altera a pérola produzida pelos fabricantes (normalmente guardada em segredo à sete chaves). A aditivação é realizada em processos posteriores, às vezes, até durante a moldagem, de acordo com a planta de industrialização do cliente.

Com durabilidade extensa, ou seja, enquanto durar a estrutura do isopor, o efeito antiviral permanece ativo e com ação comprovada já nos primeiros momentos de contato do vírus com a caixa térmica transportadora

Tal tecnologia é uma grande novidade para as caixas de vacinas, mas, diferente de outros setores, onde clientes TNS já a conhecem por aplicação similar em artigos têxteis e polímeros convencionais.

Tal apelo é de extrema importância neste tremendo momento de mudanças em nossas vidas. 

A funcionalidade extra antiviral se torna ainda mais relevante uma vez que a contaminação cruzada pode ser considerada como um novo vetor de contaminação viral ou bacteriana nas caixas transportadoras. 

Leia mais: Contaminação cruzada: o que é, e quais cuidados devemos tomar

Estas que hoje podem ser a salvação para logística, amanhã, se não bem produzidas e controladas, poderão ser um novo vetor de contaminação. 

As caixas térmicas antivirais são mais uma iniciativa da TNS na luta contra a pandemia. 

Desde março de 2020, estamos com uma boa fração de nossos pesquisadores atuando diariamente em ações frente às contaminações cruzadas, e esta é apenas mais uma conduzida com sucesso pelo nosso time técnico TNS.

Conclusão

Aqui temos mais um importante motivo para investir em hard science. Em um mundo que está cada vez mais digital, às vezes esquecemos a importância dos novos materiais, químicos e pesquisas científicas e dos benefícios que eles poderão nos trazer. 

A alegria de termos acesso a uma vacina tão rapidamente é imensa, basta agora, continuarmos com os melhores protocolos de limpeza e utilização constante de aditivos inibidores de vírus e bactérias para voltarmos ao nosso ritmo de comum. 

Mesmo diante de tanta pressão para se obter a melhor opção de caixa térmica possível, o time de especialistas TNS estão disponíveis para compartilhar amostras e auxiliar na comprovação da eficácia frente a diferentes vírus e bactérias de interesse. 

Entre em contato pelo e-mail [email protected] e saiba mais.

Gostou do post? Então deixe seu comentário e não esqueça de compartilhar nas suas redes sociais! Acesse mais conteúdos exclusivos inscrevendo-se no nosso canal do YouTube, acompanhando nosso blog e seguindo a TNS no LinkedIn, Facebook e Instagram.

Caixas térmicas antivirais para transporte de vacinas