Políticas de privacidade e de cookies

Blog

Rejuntes antimicrobianos: como funcionam?

Rejuntes, pisos, porcelanatos e outras superfícies capazes de promover saúde ganham força durante e após a pandemia.

Mas você deve estar se perguntando, como funcionalizar produtos a fim de eliminar vírus, bactérias e fungos de forma eficaz e permanente?

Como veremos mais à frente, os aditivos antimicrobianos da TNS Nano podem ser aplicados em rejuntes cimentícios, acrílico e epóxi, agregando valor e qualidade ao produto.

Baixe nosso e-book: Rejunte antimicrobiano: solução antimofo

O que é e para que servem os diferentes tipos de rejuntes?

Conhecer os diferentes tipos de rejuntes permite fazer a escolha correta para atender as necessidades dos diferentes ambientes da casa.

Levando em consideração alguns critérios importantes, como áreas secas ou úmidas , internas ou externas.

Os rejuntes são compostos por agregados minerais, cimentos, polímeros e outros aditivos que, ao serem homogeneizados com água, transformam-se em uma massa maleável.

Apesar de ser um material simples, apresenta um papel fundamental na estrutura e no design de um ambiente.

São usados para preencher frestas e fazer a vedação entre placas de revestimento (porcelanatos, cerâmicas e azulejos), evitando possíveis fissuras e infiltrações.

Também podem ser usados para facilitar o alinhamento entre os revestimentos e para melhorar o design do ambiente.

E isso não é tudo! Sabemos que rejuntes principalmente em ambientes molhados podem contribuir para o aparecimento de mofo e bolor, e aditivos antimicrobianos são a melhor solução nessa situação.

rejunte antimicrobiano

Leia mais: 3 dicas para não errar na escolha do seu fornecedor de aditivos antimicrobianos

Quais são os tipos de rejuntes presentes no mercado?

São diversas as opções que se diferem a partir da sua composição, propriedades impermeabilizantes, cores variadas, formas e locais de aplicação.

Os rejuntes podem ser divididos em três categorias, sendo elas: cimentício, acrílico e epóxi.

Esse é o tipo mais comum de rejunte, composto basicamente de cimento e areia fina.

É uma opção econômica, porém, menos resistente à ação  da água, não sendo indicado para ambientes úmidos.

O rejunte cimentício é muito utilizado no assentamento de cerâmicas e porcelanatos, geralmente em salas e dormitórios.

Para aplicação em ambientes sujeitos à umidade, o material deverá ser corretamente impermeabilizado para impedir a formação de mofo e bolor.

Leia mais: Cerâmicas antimicrobianas: quais suas vantagens e aplicações?

O rejunte de acrílico é composto por cimento e resina acrílica, o que confere proteção extra contra infiltrações, com acabamento mais liso e fino.

Pode ser aplicado em todo tipo de piso frio, como: cerâmicas, porcelanatos e pedras.

É muito utilizado em banheiros, lavabos, piscinas, garagem e outros.

Pode ser encontrado em diversas cores, o que favorece a estética da composição.

Leia mais: Pisos e revestimentos antimicrobianos: segurança em todos ambientes

É composto basicamente por resina epóxi e por um componente endurecedor com cargas minerais.

Promove acabamento estético extra liso, além da alta resistência à umidade e rapidez de aplicação.

Por conta de seu  grau de impermeabilidade, é muito utilizado em áreas externas e piscinas.

Baixe nosso e-book: Revestimentos Laminados Antivirais e Antibacterianos

Rejunte antimicrobiano, pra quê?

Hoje, mais do que nunca, a preocupação das pessoas com ambientes livres de contaminação é um tema central para todos, e continuará mesmo após o fim da pandemia.

E se engana quem pensa que funcionalizar materiais com características antimicrobianas  é algo para o futuro.

A projeção de crescimento para 2021 é positiva dentro de setores específicos da indústria de materiais de construção, como o de cimento.

Quer melhor ainda? Rejuntes antimicrobianos são capazes de contribuir para a saúde dentro e fora de casa com tecnologia e segurança.

Baixe nosso e-book: Rejunte antimicrobiano: solução antimofo

Como funcionam os rejuntes antimicrobianos?

Quando o microrganismo entra em contato com a superfície protegida pelo aditivo da TNS Nano seu desenvolvimento é rapidamente inibido.

No caso de mofos e bolores, promove o rompimento da membrana celular fúngica e interfere na sua permeabilidade.

Nos vírus, atua inibindo a replicação do seu DNA/RNA, reduzindo na maioria dos casos 99,9% de carga viral das superfícies.

rejunte antimicrobiano

Rejuntes antimicrobianos aditivados possuem proteção contínua e duradoura contra fungos, bactérias e vírus e contribui para a diminuição dos riscos de contaminação cruzada.

Eles podem ser aplicados em pisos, azulejos, porcelanatos, piscinas, paredes, fachadas e muito mais.

Tecnologia TNS Nano para uma casa livre de microrganismos

Devido a tecnologia de encapsulação da TNS Nano reduzimos a concentração de ativo e melhoramos sua eficiência.

Até mesmo em superfícies expostas à umidade, como pias e vasos sanitários, os quais são mais propensos a contaminação.

As nanopartículas ficam dispersas por toda a estrutura do material, aumentando sua superfície de contato e potencializando a ação antimicrobiana.

E a melhor parte é que a incorporação do aditivo não altera o processo fabril e possui compatibilidade com diversas resinas.

Para o produto final a proteção não demanda nenhum tipo de manutenção específica e perdura durante toda a vida do rejunte, seja ele cimentício, acrílico ou epóxi.

Outra vantagem que podemos destacar é a conservação estética do rejunte e facilidade na limpeza.

Isso pois rejuntes antimicrobianos evitam que microorganismos se proliferem causando amarelamento ou manchas nas superfícies.

Eles também auxiliam na saúde dos moradores, visto que microrganismos podem desencadear problemas como alergias.

Baixe nosso e-book: Rejunte antimicrobiano: solução antimofo

Nosso compromisso…

A TNS Nano investe em tecnologias de ponta para levar aditivos de qualidade que agregam valor e diferencial para os produtos dos nossos parceiros.

Além disso, a sustentabilidade é um dos nossos pilares principais.

Nossas soluções são elaboradas seguindo os princípios da Química Verde, por exemplo: mapeamos e compensamos o consumo energético e emissão de gases do efeito estufa e realizamos a gestão inteligente dos resíduos.

Leia mais: TNS Nano: Por que somos sustentáveis?

Gostou do post?

Então deixe seu comentário e não esqueça de compartilhar nas suas redes sociais!

Acesse mais conteúdos exclusivos inscrevendo-se no nosso canal do YouTube, acompanhando nosso blog e seguindo a TNS no LinkedIn, Facebook e Instagram.

rejunte antimicrobiano